--

WWE divulga dados da receita financeira do ano de 2019 em altos números

Ao contrário do que alguns sites relatavam, a WWE emitiu um comunicado em seu site oficial, divulgando os seus resultados econômicos do ano passado com a maior receita de sua história.
Além disso, no mesmo comunicado, foi ponderada uma mudança no modelo de pagamento da WWE Network. Vale lembrar que Vince McMahon participou de uma conferência telefônica com a imprensa, onde ele deu mais detalhes. Confira abaixo os detalhes via WWE.com:

Quarto trimestre de 2019 (Considera os meses de outubro até dezembro)

  • As receitas tiveram um aumento considerável de 18%, totalizando 322,8 milhões de dólares em relação ao trimestre do ano anterior. Essa é a maior receita trimestral da história da WWE.
  • A receita operacional obteve um crescimento de 87%, chegando a US$ 99,8 milhões de dólares, impulsionada pelo aumento dos lucros no segmento Mídia.
  • O OIBDA1 ajustado atingiu 67%, com o recorde trimestral de US$ 107,6 milhões de dólares em comparação com o ano anterior quando atingiu US$ 64,4 milhões de dólares no mesmo trimestre.
  • O lucro líquido foi de US$ 69,3 milhões de dólares, ou US$ 0,78 por ação diluída, em comparação com US$ 41,2 milhões de dólares ou US $ 0,46 por ação diluída, no quarto trimestre de 2018. Esse aumento foi impulsionado principalmente pelo melhor desempenho operacional, parcialmente compensado pelo impacto do arrendamento financeiro relacionados à nova sede da Companhia
  • Os fluxos de caixa gerados pelas atividades operacionais aumentaram para US$ 119,4 milhões em comparação com o trimestre do ano anterior quando atingiu US$ 65,2 milhões, impulsionados pelo melhor desempenho operacional e pelo momento favorável do capital de giro.
  • O fluxo de caixa livre totalizou US$ 106,6 milhões em comparação ao quarto trimestre de 2018 que atingiu US$ 54,3 milhões , impulsionado principalmente pela mudança no fluxo de caixa operacional.

Os destaques do ano de 2019

  • As receitas atingiram US $ 960,4 milhões, a maior da história da empresa
  • O lucro operacional foi de US$ 116,5 milhões de dólares
  • OIBDA ajustado de US$ 180,0 milhões representou desempenho recorde pelo terceiro ano consecutivo.
  • A transição do WWE SmackDown para a FOX foi um sucesso, com a audiência aumentando em 20% em relação ao último trimestre do ano anterior.
  • A transmissão do NXT pela primeira vez na USA Network ampliou o alcance do programa.
  • A WWE chegou a importantes acordos para transmissão de sua programação com a BT Sport, Canal 5 (propriedade da ViacomCBS no Reino Unido), FOX Sports Latin America, PP Sports na China e SuperSport na África, construindo plataformas fortes para alcançar com tranquilidade o seu público nessas regiões.
  • O engajamento digital continuou a crescer, com um aumento de 10% em visualizações de vídeo com 34,5 bilhões de visualizações e 7% em horas consumidas com quase 1,3 bilhões nas plataformas de mídia digital e social.
Porém, vale destacar que embora tenha tido uma receita de US$ 960 milhões, o lucro da empresa não passou do esperado US$ 200 milhões, alcançando mesmo assim um número considerado recorde: US$ 180 milhões.Confira abaixo como cada segmento da empresa se desempenhou ao longo do último trimestre e do ano passado:

A primeira e segunda coluna mostram o total do quarto trimestre em 2019 e 2018; Já o terceiro e o quarto mostram o resultado total nos respectivos anos. Vale lembrar que esse mesmo esquema vale para as próximas imagens que aqui vamos apresentar.

Mídia

A empresa também viu seus números caírem em diversos setores. Começando pelo setor de mídia, impulsionada muito pelos acordos de distribuição firmados com as emissoras já citadas no início deste texto, esse segmento teve um aumento de US$ 59,7 milhões de dólares e 9%, chegando ao incrível valor de US$ 743,1 milhões.
Por outro lado, a empresa de Stamford viu a receita da WWE Network cair com uma queda de 10% no número de assinantes da plataforma, encerrando o ano com 1,42 milhão de utilizadores. A empresa ainda estima que esse número deve aumentar para 1,47 milhão no primeiro trimestre deste ano. Vale lembrar que no quarto trimestre do ano anterior, a WWE anunciou 1.590.000 assinantes, um aumento de 7% naquele momento
Outro declínio no mesmo segmento foi em “Outros”, devido a não continuidade do Mixed Match Challenge no Facebook Watch. Por fim, encerrou o ano com um incremento de US$ 190,8 milhões na receita operacional, compensada pelos acordos televisivos.

Live Events

Nesse setor, a empresa viu sua receita cair de US$ 34,4 milhões para US$ 27,4 milhões em comparação com o último trimestre de 2018. A venda de ingressos nos Estados Unidos também caiu para US$ 1,9 milhão uma vez que a empresa realizou 14 eventos a menos no mesmo trimestre de 2018.
Foram pouco mais de 70 eventos no trimestre (sem considerar o NXT), sendo 50 deles na América Do Norte e 20 no mercado internacional, enquanto que em 2018 foram realizados 87 eventos no mesmo período, com 64 eventos na América do Norte e 23 em mercados internacionais. Ainda com a queda, o número de presença do público subiu para aproximadamente 5.800 pagantes.
O aumento do preço médio dos ingressos dos eventos internacionais para US$ 84,26 ajudou a complementar na receita com um aumento para US$ 7,0 milhões nesse mesmo item em comparação com o trimestre do ano anterior, que gerou US$ 6,5 milhões.
Por fim, a empresa terminou com saldo negativo de 13% no ano, uma vez que perdeu US$ 18 milhões em relação ao saldo do ano anterior. A baixa venda de ingressos devido a realização de 56 eventos a menos que 2018 e a fraca presença do público, foram um dos fatores que contribuíram para a queda. Para compensar a falta desses eventos e de outro carro-chefe como o Super Show Down, a empresa aumentou em 6% o preço médio dos ingressos na América do Norte, que passou a custar US$ 64,21, no ano.
A receita operacional diminuiu de US$ 8,9 milhões para US$ 7,7 milhões, impulsionada principalmente pelo declínio na receita.

Produtos de Consumo

Os consecutivos erros da 2K, produtora do game WWE 2K20, prejudicaram e muito a receita desse segmento tanto nesse último trimestre como no ano todo.
No último trimestre, as receitas caíram de US$ 32,8 milhões (2018) para US$ 30,8 milhões, devido a queda no número de royalties de videogame, que contém o jogo, WWE 2K20, como seu principal ativo.
Para tentar compensar a queda, a WWE tentou investir no seu portfólio de jogos para celular, onde desenvolveu diversas inovações nesse quesito.
Foram pouco mais de 125 milhões de instalações dos games que estão no portfólio da empresa. O jogo, WWE Champions, foi o responsável por liderar esse valor, conquistando o maior crescimento de receita de sua história nesse mesmo trimestre (aproximadamente 11% a mais que o ano anterior).
A receita total no ano declinou US$ 10,9 milhões em relação ao ano anterior, que atingiu US$ 91,7 milhões. Resumindo, o revés nas vendas de merchandise e a desvalorização dos royalties da venda de games para console atingiram significamente esse setor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário