WWE está cogitando realizar seus shows em arenas vazias


O surto de coronavírus nos Estados Unidos levou as duas maiores empresas de pro-wrestling do país a discutir a possibilidade de realizar seus shows em arenas vazias. 

No último episódio do Wrestling Observer Radio, Bryan Alvarez e Dave Meltzer falaram sobre o surto e o impacto que este tem sobre locais onde existe uma grande aglomeração de pessoas. 

 Ainda, dentro do assunto, Meltzer revelou que a WWE e a AEW tiveram conversas internamente sobre a possibilidade de realizar seus shows sem a participação do público, a depender da progressão do vírus. 

O jornalista ainda faz menção a Major League Baseball (MLB), maior liga de beisebol do mundo, estar se preparando para essa possibilidade. Na opinião de Meltzer, a WrestleMania poderia ser o último evento a seguir esse caminho mas acredita que será melhor realizar a trigésima sexta edição da “Vitrine dos Imortais” em um Raymond James Stadium vazio. Vale lembrar que as promotoras japonesas já começaram a agir com algumas delas cancelando seus eventos, como é o caso da NJPW, e também realizando eventos em locais vazios, como a DDT e Stardom. 

A WWE, por sua vez, monitora a situação de perto e até reuniu parte de seu plantel no início deste mês no RAW, realizado em Brooklyn, para passar orientações acerca de como lidar com a doença e evitar um possível contágio visto que seus lutadores estarão viajando a regiões onde foram diagnosticados casos da doença. Stephanie McMahon já se pronunciou sobre um possível cancelamento da WrestleMania 36, afirmando que a saúde e segurança de seus fãs e funcionários vêm em primeiro lugar antes de tudo. 

No entanto, a empresa de Stamford parece que não seguiria esse caminho uma vez que uma declaração recente emitida pela empresa afirmou que o evento seria realizado conforme planejado e que não estava nos seus planos o cancelamento de qualquer evento programado. Ainda não se sabe qual seria o procedimento adotado pela empresa em Tampa, Flórida para garantir a segurança de todos os fãs que entrarem no Raymond James Stadium. Mas, em eventos de similaridade particular, como jogos de futebol que costuma a reunir um grande número de pessoas, o procedimento adotado em países como a Itália foi a realização dessas partidas com portões fechados visto que não existe uma estratégia definida que garanta a saúde de todos os envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário