--

WWE está sendo processada

O portal Fightful relatou hoje (28), que a WWE foi processada novamente. Os acionistas da empresa Ryan Merholz e Melvyn Klein entraram com uma ação em 24 de abril, dirigida à WWE, Vince McMahon, Stephanie McMahon, Paul Levesque (Triple H), Frank Riddick III, Stuart Goldfarb, Laureen Ong, Robyn Peterson, Man Jit Singh, Jeffery Speed, Alan Wexler e George Barrios.
Nas 44 páginas do documento, Merholz e Klein acusam a empresa de desperdiçar ativos corporativos, fazer declarações falsas , deixar de divulgar eventos adversos, enganar o público investidor ou permitir que os executivos vendam parte de suas ações pessoais a preços estimados em mais de 282 milhões de dólares. No documento, também pode ser lido sobre os acordos da empresa com a Arábia Saudita.
Os trechos correspondentes podem ser lidos abaixo:
“Os principais executivos da empresa aproveitaram o preço inflacionado das ações da WWE para vender por milhões de dólares suas próprias ações da WWE durante esse período. Em uma única venda de ações em 27 de março de 2019, o CEO e presidente do conselho de diretores da WWE, o réu, Vince McMahon, vendeu mais de 3,2 milhões de ações da WWE no valor de mais de US$ 261 milhões.Esta venda ocorreu com apenas alguns dias restantes do primeiro trimestre de 2019 da empresa, na qual os especialistas sabiam que haviam maus resultados econômicos, mesmo com os crescentes problemas nos bastidores com os sauditas.”
“A WWE realizou o Crown Jewel ao vivo em Riyadh, Arábia Saudita. Depois que o evento terminou, surgiram notícias surpreendentes alegando que o governo saudita estava segurando vários lutadores da WWE como “reféns” em retaliação. pela decisão de McMahon de adiar a transmissão ao vivo do evento até que os sauditas entregassem dezenas de milhões de dólares em pagamentos atrasados. As estimativas do montante pendente variaram de US$ 60 a US$ 500 milhões.Vários lutadores detalharam sua experiência nas redes sociais.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário